There are no ads, please add some

Vasco Cordeiro espera redução de 40 a 50% dos prejuízos da SATA Internacional

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou na terça-feira que a expectativa é que a SATA Internacional reduza, em 2019, “40 a 50%” dos prejuízos e que a SATA Air Açores tenha “um resultado equilibrado”.

“A expectativa é que a SATA Air Açores tenha um resultado equilibrado, que em 2020 continue nesse trajeto, que a SATA Internacional, em 2019 reduza significativamente, na ordem de 40 a 50%, os prejuízos, que continue nesse trajeto de recuperação em 2020, e em 2020 ou 2021 possa ter, também resultados equilibrados”, afirmou Vasco Cordeiro, também líder do PS/Açores, em entrevista à RTP/Açores.

O líder do executivo regional apontou como áreas que estão a ser trabalhadas pelo conselho de administração a “reestruturação do financiamento bancário”, a “reestruturação operacional da SATA Air Açores e SATA Internacional”, e a “reestruturação da própria empresa”.

Questionado sobre a sua responsabilidade na situação da companhia enquanto secretário regional da Economia no passado e agora como presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro respondeu sentir-se responsável “pelo grande serviço que a SATA prestou, e presta, aos açorianos”.

“(…) Numa altura de recessão do setor turístico, a sobrevivência do turismo nos Açores muito dependeu daquilo que a SATA fez”, declarou, garantindo ser responsável por “ajudar a criar as medidas, as soluções, que possam levar, que levem a ultrapassar essa situação”.

Sobre a crise que a transportadora regional enfrenta, Vasco Cordeiro afirmou que “a situação da SATA é a situação que muitas companhias aéreas no mundo passam” e que se deve a vários fatores, internos e externos.

Em relação à alienação de capital social da SATA Internacional, que assegura os voos de e para fora do arquipélago, o líder socialista não adiantou uma data para o desfecho do processo, afirmando apenas que “esta é uma daquelas matérias em que a pressa não serve o interesse da SATA, a pressa não serve o interesse dos açorianos”.

Na entrevista, o governante reiterou o seu apoio ao secretário regional da Saúde, tendo garantido que, no âmbito do processo das evacuações médicas, nas quais alegadamente houve interferência da ex-presidente do conselho de administração do Hospital de Santo Espírito, na ilha Terceira, é mais importante perceber as melhorias que devem ser feitas ao serviço e não demitir o secretário.

O relatório e o despacho resultantes do inquérito ao processo serão remetidos hoje à Assembleia Legislativa dos Açores, avançou.

À pergunta sobre a sua eventual presença na Comissão Eventual de Inquérito ao Setor Público Empresarial e Associações Sem Fins Lucrativos Públicas, conforme solicitado pelo deputado do PPM, Paulo Estêvão, uma situação inédita para um presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro disse que vai “à comissão com todo o gosto, não apenas no cumprimento de um dever, mas por convicção, também”.

Sobre uma possível recandidatura às eleições legislativas regionais de 2020, Vasco Cordeiro respondeu: “Neste momento, não tenho razão nenhuma para dizer que não sou”.

A este propósito acrescentou que “o adversário do PS/Açores não é o PSD”, mas antes a luta por mais emprego, contra o desemprego e a melhoria no Serviço Regional de Saúde.

Para Vasco Cordeiro, esta é a diferença entre aquilo que move os dois partidos, sublinhando que o PSD/Açores vê no PS o seu grande adversário.

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados

About The Author

Related posts