There are no ads, please add some

Segunda fase da variante fora da ordem de trabalhos da reunião pública

Um voto de protesto relativo à não inclusão da segunda fase da variante à cidade da Horta na Carta Regional das Obras Públicas 2020 falhou a inclusão na reunião pública da Câmara Municipal Horta (CMH) de 28 de maio.

O voto, apresentado pelos vereadores da coligação PSD/CDS-PP/PPM ,e em quase tudo igual a um aprovado por todas as forças partidárias em sede de Assembleia Municipal a 30 de abril, será debatido e votado na próxima reunião deste organismo pois a maioria PS não aceitou que este toma-se parte da ordem de trabalhos.

Em declarações ao Tribuna das Ilhas o presidente da CMH, José Leonardo, esclareceu que este “voto de cariz político” não integrou a agenda do dia pois o pedido para que tal acontecesse não foi feito nas 48h00 que antecederam a reunião, “procedimento que tem sido aplicado a todos os votos deste cariz e vai ser mantido até ao final do mandato”, reforçou.

O autarca socialista declarou ainda que este “vai ser, e teremos todo o gosto, debatido na próxima reunião”.

Prometida desde 2007, a segunda fase da variante tarda em ver a luz ao fundo do túnel. A obra, vista como de “carácter estruturante para o desenvolvimento” do concelho pelos vereadores da oposição, constou da primeira versão da Carta Regional das Obras Públicas 2013-2016 e tinha início previsto para o primeiro semestre de 2015.

Segundo lembram os três eleitos pelo PSD/CDS-PP/PPM “na nova versão deste documento orientador das obras públicas não consta a 2ª fase da variante à cidade da Horta, nem nas obras a iniciar em 2015 nem na listagem de obras a iniciar em 2016-2020”.

“Esta obra tem ainda implicações com outros investimentos públicos, entre outros, com a requalificação da frente mar e com a construção do novo quartel dos Bombeiros”, lembraram.

Ao que se lê na nota de imprensa remetida à nossa redação Luís Garcia, Laurénio Tavares e Susete Amaro felicitaram o cumprimento do Voto de Pentecostes por parte do município, alertando no entanto para a “necessidade da sua dinamização com vista a promover um maior envolvimento e participação das pessoas no mesmo”.

Por outro lado, foi aprovado por unanimidade um voto de saudação, apresentado pelos vereadores sem pelouro, respeitante aos 50 anos de sacerdócio do padre José Alvernaz, a ser homenageado no próximo aniversário da cidade da Horta como proposto pelos subscritores.

Texto/Foto:Tribuna das ilhas | Rádio Faial

About The Author

Related posts