There are no ads, please add some

PSD/Açores questiona Governo sobre tempo de espera por material cirúrgico

Os deputados do PSD/Açores eleitos pelo Faial questionaram o Governo Regional sobre a ausência de material de intervenção cirúrgica no Hospital da Horta, situação que tem causado constrangimentos aos vários pacientes que procuram aquela unidade hospitalar da região, e quais os procedimentos definidos no Serviço Regional de Saúde para garantir a disponibilidade do material necessário.
Num requerimento assinado por Carlos Ferreira e Luís Garcia e entregue na Assembleia Legislativa dos Açores, os deputados do PSD/Açores relatam um episódio recente em que o tempo de espera por material de intervenção cirúrgica — que o referido hospital não dispunha — foi superior a uma semana.
O caso remonta a 8 de janeiro de 2017, dia em que um cidadão açoriano residente no Faial deu entrada no Hospital da Horta, na sequência de um acidente de velocípede, e foi obrigado a aguardar a chegada do material necessário para ser submetido a uma intervenção cirúrgica.
O material em apreço só chegou ao Hospital da Horta no dia 15 de janeiro, motivo pelo qual só foi possível realizar a intervenção cirúrgica no dia 16 de janeiro, ou seja, oito dias após a ocorrência do acidente.
Face a esta situação, os deputados do PSD/Açores questionam o Governo Regional se, perante a situação concreta do dia 8 de janeiro, foi ou não solicitado o material necessário para a referida intervenção a algum outro hospital dos Açores e se está ou não definido um tempo máximo de espera pela disponibilização de material de intervenção cirúrgica e qual o tempo máximo definido, se for o caso.
Os deputados do PSD/Açores questionam ainda o Governo Regional sobre que medidas tenciona o executivo açoriano adotar para prevenir a ocorrência de situações como a do paciente do Faial, sublinhando que a realidade geográfica açoriana “implica a definição de procedimentos sistematizados que garantam a disponibilização oportuna do material de intervenção cirúrgica necessário, uma vez que a geografia arquipelágica não permite recorrer no imediato a outras unidades de saúde para o efeito”.
Texto: GI-PSD/A | Foto: Direitos Reservados | RP

About The Author

Related posts