There are no ads, please add some

PSD/A opta por críticas destrutivas à SATA sem apresentar soluções

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista refuta as graves insinuações feitas pelo PSD/A, que reduz uma importante operação de recapitalização da SATA Air Açores – empresa estratégica para o Turismo e para a economia regional – a um “mero truque contabilístico”. É conhecida a situação da empresa e os desafios que se lhe colocam, pelo que o Governo Regional dos Açores, na qualidade de acionista único, apenas se limita a cumprir, escrupulosamente, as regras contabilísticas e a legislação em vigor, acatando também uma recomendação do Tribunal de Contas.

Ao criticar o aumento de capital e o esforço que o Governo Regional tem feito no aumento das transferências para a SATA, nos últimos anos, o PSD/Açores tenta maquilhar o desespero e a falta de estratégia para a Região Autónoma dos Açores.

Ao invés de propor alterações à proposta de recapitalização e assim reforçar as transferências destinadas à SATA no orçamento, prefere o PSD/Açores criticar tudo, o que se faz e o que não se faz, caindo facilmente na demagogia e no populismo: “O PSD continua a limitar a sua ação à crítica destrutiva. Não se deslumbra nas suas posições uma estratégia para os Açores. A verdade é que são os sociais democratas que utilizam a cosmética e os truques para fazer disfarçar a sua falta de planeamento para o futuro da Região”, afirmou Carlos Silva.

“O PSD está desesperado devido à franca recuperação da empresa, o que já é verificado pelo aumento dos passageiros transportados e pelo número de rotas”, adiantou o deputado socialista.

 “A SATA é fundamental para a Região e nunca se pode colocar em causa o serviço que é prestado aos Açorianos. A companhia tem contribuído decisivamente para a economia regional, sobretudo em épocas difíceis como a que aconteceu recentemente com a austeridade trazida ao país pelo PSD e CDS na República. O aumento do capital social da SATA é, na verdade, mais uma ação estratégica para a consolidação económica e financeira da empresa”, conclui Carlos Silva.

Texto/Foto: GI-PS/A | RP

About The Author

Related posts