There are no ads, please add some

PS acusa CDS/Açores de “não ter memória” nas críticas que faz sobre CTT

O grupo parlamentar do Partido Socialista dos Açores condenou hoje as acusações do CDS-PP feitas ao Governo da região, que diz ser o responsável pelo problema dos CTT, acusando os socialistas o CDS-PP de “não ter memória”.

“É preciso não ter memória, mas sobretudo não ter nenhuma vergonha, e fazer estas acusações, esquecendo o papel central que o Governo PSD/CDS-PP – espaneficamente apoiado pelo seu vice-presidente, Artur Lima [líder do CDS nos Açores] – teve na privatização apressada e danosa das empresas TAP e CTT, que, aliás, tiveram como consequência, por um lado o abandono de rotas aéreas, de serviço público”, diz nota do PS enviada esta tarde às redações.

Antes, o CDS-PP/Açores havia sustentado que o problema dos CTT nos Açores, reconhecido pelo presidente da empresa, é responsabilidade do Governo Regional e culpa da falta de uma “verdadeira política de transportes e comunicações”.

“O CDS entende que esta situação é insustentável e deve-se à falta de uma verdadeira política de transportes e comunicações do governo de Vasco Cordeiro, que comprometeu o serviço universal dos correios nos Açores ao ter assistido impávido e sereno à supressão de voos da TAP e da SATA para as ilhas dos Açores, com a correspondente diminuição da respetiva capacidade de carga”, diz nota dos centristas, liderados na região por Artur Lima.

Para o PS, este é um “claro exemplo de má oposição política” de um partido que, “neste caso em particular, preferiu fazer propaganda a contribuir para a solução” depois de uma “atabalhoada tentativa do presidente dos CTT em responsabilizar terceiros pelas sucessivas falhas da sua empresa em relação ao serviço postal nos Açores, e até no país, após a privatização”.

O presidente executivo dos CTT, Francisco de Lacerda, esteve esta semana no parlamento, onde admitiu que a empresa tem “um problema sério nos Açores” que tem a ver com os transportes.

“É um drama que vivemos, temos chamado a atenção de todas as entidades”, disse, explicando que muitas vezes a Força Aérea “faz o favor de levar o saco do correio”, uma vez que a empresa não consegue espaço na TAP ou SATA.

Este é um problema “em todas as ilhas”, disse, agradecendo todas as ajudas para resolver o problema.

Lusa/Rádio Faial | Foto: GPPS

About The Author

Related posts