There are no ads, please add some

PS/Açores diz que direita açoriana desistiu de defender a região

O grupo parlamentar do PS nos Açores considerou hoje que PSD e CDS-PP desistiram de “defender os interesses da região”, dedicando “todas as suas forças” a “deitar abaixo” o Governo Regional e os socialistas.

“O tom utilizado por Duarte Freitas [líder do PSD/Açores] e Artur Lima [líder do CDS/Açores] para criticar o PS e o presidente do Governo é a prova acabada de que a direita açoriana já desistiu de defender os interesses da região e dedica todas as suas forças a deitar abaixo o Governo e o PS, mesmo que isso implique alinhar ao lado daqueles que prejudicam diariamente os açorianos”, advogam os socialistas, em nota hoje enviada à imprensa.

Em causa estão críticas quer de PSD quer de CDS ao Governo Regional sobre os CTT e os seus problemas na região, assumidos recentemente pelo presidente executivo da empresa.

“Está azeda e agastada a oposição de direita nos Açores. Transforma todos os momentos em que devia estar ao lado dos açorianos em episódios de guerrilha político-partidária. Já não é capaz de discernir o que é de interesse regional e o que é apenas um pequeno anseio partidário”, prossegue o PS.

Os líderes do PSD e do CDS nos Açores, “quando colocados perante as consequências negativas da privatização dos CTT, que se fazem sentir de forma especial nos Açores”, insultam o Governo Regional socialista, liderado por Vasco Cordeiro, e “procuram desculpas na governação da República nos idos de 2011, mas nada têm para dizer de concreto aos açorianos sobre a venda apressada e mal negociada dos CTT ao setor privado”.

E prosseguem os socialistas, em tom irónico: “As encomendas não chegam aos Açorianos e a culpa é, imagine-se, do Governo do PS de 2011. As estações de proximidade fecham e a culpa é, imagine-se, do Governo da República de há sete anos atrás. (…) Quem não tem culpa alguma é o Governo de Passos Coelho, Portas e Sérgio Monteiro, que, de facto, privatizou sem garantias os CTT, tal como fez com a ANA e com a TAP”.

O presidente executivo dos CTT, Francisco de Lacerda, esteve na semana passada no parlamento, onde admitiu que a empresa tem “um problema sério nos Açores” que tem a ver com os transportes.

“É um drama que vivemos, temos chamado a atenção de todas as entidades”, disse, explicando que muitas vezes a Força Aérea “faz o favor de levar o saco do correio”, uma vez que a empresa não consegue espaço na TAP ou SATA.

Na segunda-feira, o presidente do Governo Regional dos Açores definiu como “injustas e hipócritas” as críticas feitas ao executivo que lidera e à SATA sobre o serviço dos CTT no arquipélago.

“Um dos episódios mais recentes em que se exige à SATA, e já agora, ao Governo Regional, que resolva, tem a ver com o mau serviço prestado pelos CTT às açorianas e açorianos. Trata-se do exemplo acabado de uma crítica injusta e hipócrita”, afirmou o líder do executivo açoriano.

Vasco Cordeiro sustenta que “a SATA está a colaborar com os CTT e garante que, em cada um dos voos que partem de Lisboa com destino aos Açores, há disponibilidade de acomodar 250 Kg de correio”.

E concretizou: “Para termos uma ideia mais concreta da relação entre esta oferta e a procura, podemos dizer que, nos últimos três meses, e, portanto, incluindo o natal, a média, repito, média, por voo ficou abaixo dessa quantidade, em concreto, a utilização foi de 240 Kg”.

Lusa/Rádio Faial | Foto: GPPS

About The Author

Related posts