There are no ads, please add some

Programa Parque Escola já envolve mais de 17.500 alunos em toda a Região, revela Neto Viveiros

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente revelou hoje, na Madalena, que, entre os anos letivos de 2014/15 e 2015/16, se registou “um aumento de 41% no número de ações desenvolvidas e um aumento de 27% no número de participantes” no Programa Parque Escola, promovido pelo Governo dos Açores.

“Aumentamos o número de ações de 520 para 731 e o número de alunos abrangidos de 13.768 para 17.528, em todas as ilhas”, frisou Luís Neto Viveiros na sessão de abertura do XII Encontro Regional de Educação Ambiental e Seminário Eco-Escolas.

O Programa Parque Escola é a oferta educativa dos Parques Naturais dirigida à população escolar, de caráter gratuito, sustentada no referencial curricular protagonizado para os Açores e de forma a promover e complementar a temática dos recursos naturais e da sua conservação na Região.

O titular da pasta do Ambiente salientou que esta oferta está estruturada em vários subprogramas, nomeadamente o ‘Parque vai à Escola’, com ações nos estabelecimentos de ensino, e ‘A Escola vai ao Parque’, que é composto por ‘A Escola vai ao Centro’, com ações que decorrem na rede de Centros Ambientais dos Açores, e ‘A Escola vai às Áreas Protegidas’, com ações educativas ao ar livre nas áreas protegidas, geossítios e locais sensíveis para a conservação da natureza.

“O Governo dos Açores tem bem a noção de que, também em matéria ambiental, as opções tomadas no presente terão os seus efeitos nas gerações seguintes de Açorianos”, afirmou Neto Viveiros.

Nesse sentido, o Secretário Regional destacou o lançamento de mais uma agenda do programa Parque Escola, que “será feita a partir de hoje por todas as escolas da Região e através de plataformas eletrónicas e, pela primeira vez, também em suporte físico que vai ser entregue aos 248 estabelecimentos de ensino” dos Açores.

“Na véspera do início de mais um ano letivo, as escolas, os alunos e os professores passam a poder novamente usufruir de uma oferta educativa gratuita relacionada com a sensibilização ambiental”, frisou.

Para o governante, “ambicionando que a visão do desenvolvimento sustentável para a Região Autónoma dos Açores seja transversal a toda a sociedade e gerações”, importa ainda que, alicerçada na educação formal, “se enraíze a outros níveis”.

Por essa razão, entre outros programas regionais e internacionais que são desenvolvidos no arquipélago, destacou o ‘Parque Aberto’, enquanto “programa agregador de todas as atividades promovidas nas áreas dos Parques Naturais de Ilha”.

Este programa, que integra atividades que envolvam e se adequem a toda a comunidade e a quem visita o arquipélago.

“Também neste programa temos vindo a aumentar o número de iniciativas, que passaram de 147, em 2014, para 188, em 2015, assim como de participantes, que aumentaram de 3.250 para 6.047, no mesmo período de tempo”, revelou Neto Viveiros, salientando que estes números correspondem a aumentos percentuais de “28% e 86%, respetivamente”.

Para o crescente sucesso dos programas ‘Parque Escola’ e ‘Parque Aberto’, o Secretário Regional destacou o papel dos parceiros do Governo Regional nas questões de Educação Ambiental e do Desenvolvimento Sustentável, designadamente e além dos professores, escolas ou universidades, os municípios, organizações não-governamentais, associações locais e já cerca de uma centena de empresas parceiras dos nove Parques Naturais.

O XII Encontro Regional de Educação Ambiental e Seminário Eco-Escolas decorre hoje e amanhã em simultâneo e com recurso a videoconferência, na Madalena, no Pico, e em Ponta Delgada, na ilha de S. Miguel.

Também e pela primeira vez, os trabalhos podem ser acompanhados via ‘streaming’, no Canal ‘You Tube’ dos Parques Naturais dos Açores.

O encontro, organizado pela Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente, através da Direção Regional do Ambiente e da AZORINA, tem como tema central “Entendimento Global: construir ligações dos pensamentos globais para as ações locais açorianas”.

O tema foi escolhido tendo em consideração o Ano Internacional do Entendimento Global, iniciativa resultante de programas de investigação sobre a sustentabilidade global estabelecidos pelos Conselhos Internacionais de Ciências Naturais e Ciências Sociais.

Texto/Foto: GaCS/OG | Rádio Faial

About The Author

Related posts