There are no ads, please add some

“O Natal à mesa” foi bom, mas podia ter sido melhor

A Câmara Municipal da Horta (CMH) e cinco restaurantes locais preparam  um roteiro gastronómico durante a época natalícia com o projeto “Xmas in Faial – o Natal à mesa”, integrado no programa municipal “Natal com Tradição”.
O principal objetivo desta iniciativa foi “proporcionar aos restaurantes aderentes uma nova dinâmica gastronómica”, permitindo à população faialense “saborear pratos e sobremesas natalícias”, segundo a descrição do projeto.
O preço definido para todos os restaurantes aderentes foi de 12€ por menu, sem bebidas incluídas, sendo a refeição gratuita para crianças com menos de seis anos e havendo desconto de 10% em grupos com mais do que seis pessoas.
Desta forma, os restaurantes “Clipper”, “Fábrica”, “Hortênsia”, “Kabem Todos” e o “Vítor dos Leitões”, os cinco associados a esta ação, enfrentaram o período de festas com menus originais, tendo apenas que cada prato ser típico com origem nacional de uma região específica, ou de uma região internacional.
De forma a fazer um balanço do “Xmas in Faial- o Natal à mesa” o Tribuna das Ilhas contactou os estabelecimentos de restauração e falou também com o Presidente da Câmara, José Leonardo.
No geral todos os restaurantes consideraram o apoio da CMH como permanente e suficiente. No entanto, se para alguns esta iniciativa surtiu efeitos positivos no negócio, para outros, acusando a época natalícia, seria mais proveitoso um projeto do género mas em “época baixa”.
Relativamente ao restaurante “Clipper” a iniciativa teve efeitos positivos, levando uma maior afluência ao local do que esperado. Mesmo sentindo-se ainda os efeitos da crise, e com o ano de 2014 a ter corrido em linha com 2013, neste estabelecimento o “Natal à mesa” foi visto com bons olhos e acham mesmo que “deveriam haver mais” projetos como este.
 O responsável pelo “Vítor dos Leitões” considerou que, no seu caso, houve um aumento no número de clientes derivado ao programa municipal, programa no qual “a Câmara Municipal esteve sempre disponível” afirmou. Para Vitor, o fator sazonalidade é bastante visível na restauração da ilha do Faial, e aconselha à reprodução de outros eventos do género, apontando que “se deveria repetir na altura da Páscoa”.
No restaurante “Fábrica”, localizado na baía de Porto Pim, esta ação não desencadeou a procura que se esperava. Paula Lemos, a responsável pelo local, apontou a localização, fora do centro da cidade, como possível causa para a manutenção de uma procura relativamente baixa.
Leia a reportagem completa na Edição impressa do Tribuna das Ilhas de 9 de janeiro de 2015
Texto/Foto: Tribuna das Ilhas

About The Author

Related posts