There are no ads, please add some

Novo líder do PSD/Açores pede união para derrotar “governação das desculpas”

 O novo líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, apelou hoje à “união” no partido, defendendo que tal será a “chave do sucesso” para derrotar a governação socialista da região, feita de “desculpas, favorecimento e ilusão”.

“A união será a chave do sucesso. Unidos seremos capazes de derrubar o nosso verdadeiro adversário: a governação das desculpas, do favorecimento e da ilusão”, vincou o social-democrata.

Gaudêncio falava em Vila Franca do Campo, na ilha de São Miguel, na abertura do XXIII Congresso do PSD/Açores.

O líder do PSD na região diz que nos Açores existe atualmente uma “governação em que ninguém é responsabilizado pelos erros cometidos, onde há sinais de desgaste, de guerrilha interna, e que em nada ajuda a região e os açorianos a ultrapassar as dificuldades do dia-a-dia”.

Nesse sentido, é “possível” ao PSD “já nas próximas” regionais, em 2020, ser poder, “garantindo uma oposição forte até lá”.

Posteriormente, Alexandre Gaudêncio garante que formará um executivo “com gente credível e com provas dadas cívica e profissionalmente”.

O também presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande sublinha ser necessário o PSD estar “forte e 100% eficaz” no combate à governação do PS na região, e a intenção do seu projeto é “escutar e valorizar a opinião dos militantes de Santa Maria ao Corvo”.

“Tenho a profunda convicção de que a união partidária será a nossa força locomotora”, assinalou, perante algumas centenas de sociais-democratas.

Na sua intervenção, Alexandre Gaudêncio saudou todos os antigos presidentes do partido, nomeadamente Mota Amaral, presente na sala, “pai fundador” da autonomia, e também deixou um cumprimento especial a Pedro Nascimento Cabral, seu oponente nas diretas que recentemente decorreram.

Também Duarte Freitas, que agora abandona a liderança do PSD/Açores, mereceu uma “palavra de agradecimento e de muito apreço” em nome dos sociais-democratas açorianos.

O XXIII congresso do PSD/Açores termina no domingo com uma intervenção do presidente nacional do partido, Rui Rio.

Para domingo, Gaudêncio garantiu já a apresentação de “ideias do PSD para começar a construir uma região melhor”.

Nesse dia, os sociais-democratas elegem os órgãos regionais do partido, sabendo-se já que deverá haver um consenso em torno dos nomes apresentados pelo novo líder do PSD/Açores e o seu opositor nas diretas, Pedro Nascimento Cabral.

O Conselho Regional do PSD/Açores, que tem por missão analisar a situação político-partidária, aprovar o desenvolvimento da estratégia política do partido definida em congresso regional e designar o candidato a presidente do Governo Regional, entre outros, é composto por 45 elementos eleitos em congresso e 15 suplentes, quatro membros da JSD (Juventude Social-Democrata), três membros dos TSD (Trabalhadores Social-Democratas) e dois dos ASD (Autarcas Social-Democratas).

Lusa/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados

About The Author

Related posts