There are no ads, please add some

João Ponte anuncia, no Dia Mundial da Floresta, que foram plantadas três milhões de árvores nos últimos quatro anos nos Açores

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que os Açores registam “números impressionantes” no que diz respeito à reflorestação, adiantando que, nos últimos quatro anos, foram plantadas “cerca de três milhões de árvores” no arquipélago, a maioria criptomérias, mas também resinosas, folhosas e endémicas.

Um terço da área da Região Autónoma dos Açores é ocupada por floresta, tendo-se registado nos últimos anos um aumento de 85 hectares em termos de novas áreas plantadas, que foram conquistadas a áreas desocupadas e a outras afetas ao setor agrícola.

João Ponte falava na Praia da Vitória, palco central das comemorações do Dia Mundial da Floresta, que hoje se assinala, onde decorreu a atividade ‘Conhecer e Sentir os Segredos da Floresta’, organizada pela Direção Regional dos Recursos Florestais e pela Câmara Municipal, que contou com a presença de alunos das escolas do ensino básico e secundário, da escola profissional e do público em geral.

O Dia Mundial da Floresta é assinalado hoje em todas as ilhas dos Açores, em parcerias da Direção Regional dos Recursos Florestais com autarquias e escolas do arquipélago.

“Os desafios que existem para o futuro são enormes, já que é preciso continuar o trabalho de reflorestação que temos vindo a fazer nos últimos anos”, frisou o Secretário Regional, salientando a importância da floresta nos Açores.

“Desde logo, do ponto de vista ambiental, pelo contributo que dá para o equilíbrio da Região, mas também do ponto de vista turístico, porque é uma das imagens de marca da Região como território verde, e do ponto de vista económico, porque hoje a floresta já tem a sua fileira bem organizada e isso deve-se muito ao trabalho que o Governo Regional tem feito, mas também ao trabalho dos privados, o que é preciso enaltecer neste dia”, frisou João Ponte.

Na sua intervenção, salientou que “o percurso feito nos últimos anos é extraordinário”, acrescentando que existe atualmente “um grande potencial do ponto de vista económico em relação à fileira da criptoméria”.

João Ponte anunciou que, muito em breve, “a Região vai lançar mais um concurso para exploração de matas públicas para consolidar aquilo que já é uma realidade na exportação de madeira dos Açores para a América do Norte e para que tal possa ser incrementado no futuro, do ponto de vista económico, de criação de emprego e de desenvolvimento”.

“Também nesta área, o Governo dos Açores tem a responsabilidade de abrir caminho, investigar, experimentar e orientar a atuação futura dos privados. E é isso que se tem estado a fazer”, disse.

Nesse sentido, apontou como exemplos o Programa de Melhoramento Florestal, que decorre há 15 anos com mais de 26 hectares de ensaios, ou, mais recentemente, a certificação das áreas públicas de floresta em São Miguel onde o eco-rótulo do FSC tem sido determinante na conquista dos mercados internacionais.

Texto: GaCS/SF | Foto: Direitos Reservados

About The Author

Related posts