There are no ads, please add some

Inquérito ao acidente em São Roque do Pico por concluir dois anos após morte de passageiro

O inquérito ao acidente com o navio “Gilberto Mariano”, que provocou a morte de um passageiro há dois anos em São Roque do Pico, está por concluir, informou o Ministério Público, adiantando ter sido constituído um arguido.

[…] Ainda não foi proferido despacho final, uma vez que se aguarda a realização de uma perícia médica, prevendo-se que aquele despacho venha a acontecer até ao final do corrente ano”, refere uma informação solicitada pela agência Lusa à coordenação da Procuradoria da Comarca dos Açores.

Segundo a mesma nota, no inquérito “está constituída uma pessoa como arguida”.

O acidente ocorreu a 14 novembro de 2014, depois de um passageiro ter sido atingido por um cabeço de amarração que rebentou, no porto de São Roque, quando o navio “Gilberto Mariano”, que faz ligações entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge, se encontrava em manobras de atracagem, explicou na ocasião o capitão do Porto da Horta, Diogo Vieira Branco.

“Um dos cabeços de amarração partiu e foi projetado para o interior do navio, vindo a atingir um dos passageiros”, referiu o responsável.

Além deste acidente, dias antes, no porto da Madalena, igualmente na ilha do Pico, dois cabeços de amarração rebentaram durante a atracagem com o “Mestre Simão”, o navio gémeo do “Gilberto Mariano”, obrigando a deslocar temporariamente a operação de transporte marítimo de passageiros para o cais da gare antiga.

Na sequência destes acidentes, foi criada uma comissão de inquérito aos transportes marítimos no parlamento dos Açores, por proposta do PSD.

Em janeiro, a Lusa noticiou que a família da vítima mortal foi indemnizada em 300 mil euros.

“A Transmaçor e a Portos dos Açores liquidaram em outubro [de 2015] 300 mil euros à família”, afirmaram então fontes ligadas ao processo.

A Transmaçor era uma das empresas públicas açorianas que asseguravam o transporte marítimo de pessoas e viaturas no arquipélago, entretanto fundida na Atlânticoline, e a empresa proprietária no navio envolvido neste acidente mortal.

Texto: Lusa/AO online | Foto: Direitos Reservados | RF.RP

About The Author

Related posts