There are no ads, please add some

Governo revela incoerência entre os anúncios e a ação no combate à pobreza, afirma a deputada Mónica Seidi

A deputada do PSD/Açores Mónica Seidi considera lamentável que, pela segunda vez este ano (em abril e agora), seja necessário denunciar no Parlamento açoriano o incumprimento do Governo regional no pagamento do Complemento Açoriano ao Abono de Família para Crianças e Jovens, correspondente ao segundo semestre de 2016, pago pela última vez em fevereiro deste ano.

“É igualmente lamentável que ontem se tenha apregoado, neste Parlamento, o crescimento económico e a criação de emprego na Região, e não se consiga regularizar o pagamento desta prestação social, nem tão pouco se tenha dito uma única palavra relativamente à pobreza nos Açores”, afirmou Mónica Seidi.

Em resposta ao secretário regional Adjunto da Presidência para os Assuntos Parlamentares, Berto Messias, que negou a denuncia dos partidos da oposição, a deputada social-democrata afirmou que “quem está a agir de má fé é o Governo ao não pagar e não cumprir a lei”.

Mónica Seidi sublinhou que as alterações introduzidas nas transferências sociais, em particular no abono de família, foram determinantes para o aumento da pobreza e o agravamento das condições de vida das famílias mais pobres da Região.

A deputada explicou que foi o Governo da República socialista liderado por José Sócrates, em 2010, que cortou a 13.600 açorianos o abono de família, quando a previsão do Instituto de Gestão de Regimes da Segurança Social dos Açores previa uma quebra de apenas 8500 crianças no número de beneficiários.

Além disso, Mónica Seidi considera incoerente que o mesmo Governo que anunciou, em plena campanha eleitoral para as últimas regionais, a elaboração de uma Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social, mantenha o incumprimento desta prestação social que abrange 38 000 beneficiários na Região.

PSD Açores/Rádio Faial | Foto: PSD

About The Author

Related posts