There are no ads, please add some

Governo dos Açores e Municípios reúnem-se para debater problemática dos roedores

O secretário regional da Agricultura e Florestas reúne-se na próxima sexta-feira com a responsável da Associação de Municípios para abordar a problemática dos roedores nos Açores e estabelecer uma estratégia global de combate, foi hoje anunciado.

Uma nota do executivo regional adianta que João Ponte tem agendado para o próximo dia 12 uma reunião com a presidente da Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores (AMRAA), Cristina Calisto, para “abordar a problemática dos roedores, cujo combate deve ser feito através de uma estratégia global, envolvendo as autarquias”.

Para o governante, citado na mesma nota, é necessário “intensificar” a colaboração no âmbito do controlo e combate a esta praga, que afeta não só os meios rurais, mas também as zonas urbanas, considerando ser “importante estabelecer pontes com os municípios para que se faça um combate mais eficaz”, envolvendo ainda as entidades oficiais, empresas e particulares.

A nota do Gabinete de Apoio à Comunicação Social (GACS) do executivo açoriano refere ainda que a utilização isolada de medidas ofensivas ou de eliminação, como a aplicação de rodenticidas, sem a implementação conjunta de medidas que tornem o ambiente menos favorável para os roedores, impossibilita a obtenção de resultados adequados.

Nesta reunião, João Ponte e Cristina Calisto vão também analisar outros assuntos, nomeadamente a questão dos caminhos agrícolas e a implementação do Decreto Legislativo Regional relativo aos centros de recolha oficial de animais, acrescenta.

Na quinta-feira, o delegado de saúde de Ponta Delgada, nos Açores, confirmou à agência Lusa que “deu ordem de encerramento” da Escola Básica do primeiro ciclo de São Pedro até à próxima segunda-feira devido a uma “infestação de roedores”.

Eduardo Cunha Vaz adiantou que foi alertado quarta-feira à tarde para a situação na “Escola da Mãe de Deus”, como é usualmente conhecida, onde terão sido encontrados “dejetos de roedores” e foram registados “alguns estragos”.

O delegado optou assim por encerrar até à próxima segunda-feira a Escola Básica do Primeiro Ciclo e Jardim de Infância de São Pedro, em Ponta Delgada, que acolhe cerca de 230 alunos, para proceder à “desratização” e garantir que esta “seja feita com eficácia”.

Na segunda-feira, o delegado de saúde concelhio vai proceder a uma “reavaliação” e posteriormente decidir se as aulas arrancam na terça-feira ou se a escola permanecerá “mais alguns dias encerrada”.

Contudo, e de acordo com o responsável, a escola apresenta “problemas estruturais” e “algumas portas de entrada para os roedores”, nomeadamente por se tratar de “um edifício antigo” com “uma porta de madeira já ruída e janelas sem redes mosquiteiras”.

Lusa/Rádio Faial | Foto: GaCS

About The Author

Related posts