There are no ads, please add some

Gala Cultural encerra comemorações dos 100 anos do edifício do Teatro Faialense

A Câmara Municipal da Horta homenageou, no passado domingo, quatro dezenas de instituições culturais do concelho da Horta pelo seu contributo para a valorização e promoção da cultura faialense, no encerramento das comemorações dos 100 anos do edifício do Teatro Faialense.

Para José Leonardo Silva, Presidente da Câmara Municipal da Horta, trata-se de um reconhecimento pelo “trabalho árduo, contínuo, voluntário, de qualidade e digno que se desenvolve nas nossas sociedades, nos nossos grupos de folclore, de música tradicional e popular, nos grupos corais ou de fado e nas instituições culturais de referência ao nível da divulgação, apropriação e investigação cultural”.

“Estamos nós hoje a demonstrar, com a nossa presença e também com a presença de jovens grupos, que a cultura faialense está viva e honra os pergaminhos dos seus antepassados”, referiu, na ocasião, o autarca, frisando a importância das parcerias que a autarquia tem realizado com estas instituições e que, em sua opinião, são responsáveis pela promoção de mais e melhores eventos, num investimento que, só no atual mandato e no âmbito do regulamento de apoio em vigor, representou 1 milhão e meio de euros.

Por essa razão, e recordando as dificuldades sentidas no atual mandato autárquico, com a introdução de novos impostos sobre as autarquias, reduções de verbas ou retirada de comparticipação de fundos comunitários para investimentos na rede viária, “houve sempre um esforço e o objetivo de financiar a cultura, de apoiar as nossas instituições” e, até mesmo de majorar em 35% as instituições que valorizaram ou investiram na área da formação.

O autarca recordou a importância do Teatro Faialense para a criação de um maior dinamismo cultural no concelho e dos investimentos que ali têm sido realizados, no sentido de permitir um alargamento da oferta cultural, de que é exemplo, a instalação de um moderno equipamento de projeção digital 3D, que permite seguir a atualidade das grandes salas de cinema nacionais, e que, no cômputo geral, nos últimos 4 anos, o número de entradas mais do que duplicou, sendo no final de 2016 de 10.590 entradas por ano.

Por várias razões, concluiu, “é bom sentir que o trabalho desenvolvido dá os seus frutos e que, em momentos de dificuldade, também na área cultural, contribuímos para um concelho mais ativo, mais vivo, mais dinâmico e onde devemos ter orgulho de realçar os pontos positivos, puxando o Faial sempre para cima, e de dar contributos para resolver os pontos menos positivos, para que, mesmo esses, possam ser encarados com seriedade e nunca com demagogia”.

A sessão solene incluiu, igualmente, o lançamento do selo e da medalha comemorativa dos 100 anos e, para além da Gala Cultural, permitiu exibir uma adaptação da opereta “A fonte dos namorados” de António Batista, pelas mãos do Grupo de Teatro Sortes à Ventura e do professor Vítor Rui Dores.

Texto/Foto: CMH/Rádio Faial

About The Author

Related posts