There are no ads, please add some

“António Costa tem a capacidade de mobilizar todos aqueles que querem ajudar a reconstruir o nosso país”, defendeu Vasco Cordeiro

“António Costa tem todas as condições, pelo mérito das suas propostas e pela sua capacidade de mobilizar todos aqueles que querem ajudar a reconstruir o nosso país, para sarar aquilo que foi ferido, para unir o que foi dividido”, defendeu Vasco Cordeiro.

O Presidente do PS/Açores falava na apresentação da candidatura de António Costa às Eleições Primárias do PS, que decorreu esta quinta-feira, na ilha Terceira.

Perante uma plateia de cerca de 1.600 Terceirenses, simpatizantes e militantes, Vasco Cordeiro apelou aos Açorianos para não se “iludirem nem pensarem que estas eleições apenas dizem respeito ao continente, que não têm a ver com os Açores”.

O Presidente dos Socialistas Açorianos lembrou que o que está em causa para os Açores é “saber se queremos no Governo da República alguém que respeite as autonomias e os Açorianos, não apenas em palavras, mas em ações; alguém que se preocupe em considerar o Governo Regional como um parceiro, que respeite os direitos e prerrogativas da nossa Autonomia e da nossa Região, que não se preocupe apenas em arranjar desculpas de mau pagador como aconteceu ainda recentemente no processo de revisão das Obrigações de Serviço Público”.

Vasco Cordeiro elegeu o “crescimento económico, a coesão social e a aposta na juventude” como os “três principais desafios com que Portugal está confrontado”.

O Presidente do PS/Açores considera que deve ser objetivo prioritário de um próximo Governo da República “apoiar as pequenas e as médias empresas, valorizar os recursos endógenos e os nossos recursos humanos, estimular a capacidade produtiva do nosso país”.

Vasco Cordeiro frisou que as “finanças públicas não devem ser a última das prioridades”, mas criticou o PSD e o CDS-PP por “sacrificarem o crescimento económico às finanças públicas”, destacando que existe uma “resposta diferente e mais qualificada, liderada por António Costa”.

O Presidente do PS/Açores considerou ainda ser “necessário recuperar a solidariedade entre as gerações”, de forma a que a “sociedade portuguesa possa avançar como um todo e não sacrificando o futuro dos jovens àquela que deve ser a devida proteção a quem toda a vida trabalhou pelo futuro do nosso país”.

“Este governo do PSD e do CDS-PP tem a responsabilidade de ter sangrado o país de uma geração jovem, qualificada, que se preparava para ajudar a construir um futuro melhor para todos nós”, acusou o líder dos Socialistas Açorianos, defendendo uma “recuperação da aposta na juventude” para que esta se possa “realizar na sua terra, na sua pátria, e assim ajudar a construir o futuro do país”.

Para Vasco Cordeiro, é “gratificante reconhecer a sensibilidade, o reconhecimento e o respeito de António Costa pela Autonomia Açoriana e pelos Açorianos”, mas também “ver a participação de Carlos César, um grande Açoriano que dá a esta candidatura um sinal claro, de respeito pela multiplicidade do nosso país e por toda a sua dimensão”.

“A candidatura de António Costa encarna bem a resposta que todos nós sentimos que deve ser dada à situação que vivemos no nosso país e por isso é importante que no próximo dia 28 de Setembro mobilizemos amigos e familiares para darmos uma grande vitória a António Costa”, salientou Vasco Cordeiro.

Texto e foto Gabinete Imprensa do Presidente do PS/Açores

 

About The Author

Related posts

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.