There are no ads, please add some

Ana Cunha enaltece atuação dos intervenientes na evacuação dos passageiros do navio “Mestre Simão”

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas enalteceu hoje o trabalho da tripulação do “Mestre Simão” e dos demais intervenientes envolvidos na evacuação dos passageiros que viajavam no navio na altura do acidente.

Ana Cunha, salientando que a segurança das pessoas é sempre a “principal preocupação”, quis “enaltecer o facto de não ter havido nenhuma vítima e de o processo de evacuação ter ocorrido de forma célere e com segurança”, dando “parabéns a todas as pessoas que estiveram envolvidas nesse processo”.

Agora, frisou a Secretária Regional, há que “acautelar qualquer derrame de combustível” e acompanhar a situação do navio nas próximas horas, “até que esteja avaliado e definida a forma como se vai processar a operação de resgate do navio e de trasfega do combustível que está no seu interior”.

A titular da pasta dos Transportes salientou que as ligações marítimas estão asseguradas, adiantando que “os percursos estão a ser efetuados” com os navios “Cruzeiro do Canal” e “Cruzeiro das Ilhas”.

“Mantêm-se os horários, mantêm-se os percursos, com estes dois barcos. Obviamente que temos esta limitação decorrente deste acidente e a limitação do navio “Gilberto Mariano” estar neste momento em doca seca para certificação”.

Apesar destas limitações, Ana Cunha afirmou que “a Atlânticoline conseguiu, já hoje, operacionalizar as ligações e, nesse sentido, será de manter os mesmos horários com estes dois navios”.

Ana Cunha afirmou que o Governo dos Açores está a acompanhar a situação, “em articulação com o Comando da Zona Marítima dos Açores, o Capitão do Porto da Horta, a Portos dos Açores, que tem fornecido alguns meios, e a Atlânticoline, proprietária do navio”, aguardando-se agora que “haja condições para que se possa chegar ao interior do navio para perceber o alcance dos danos e a situação do combustível”.

Para a Secretária Regional, a possibilidade de derrame de combustível “é o que há a acautelar, sem prejuízo de todos os outros procedimentos que estão em curso”.

Nesse sentido, já foram colocadas mangas de proteção e delimitação do local para acautelar qualquer situação de derrame de combustível”, estando em curso os “procedimentos de definição e avaliação da situação, para definir os passos seguintes, para se perceber o que se passou, efetivamente”, afirmou Ana Cunha.

GaCS/Rádio Faial | Foto: Direitos Reservados

About The Author

Related posts