There are no ads, please add some

A candidatura Acreditar no Faial quer “Uma Câmara Mais Democrática”

A candidatura Acreditar No Faial reuniu com os Vereadores da Oposição na Câmara Municipal da Horta, para
analisar o funcionamento da Autarquia e o seu conceito de democracia.
Em conferência de imprensa após a reunião, Carlos Ferreira declarou que, de tudo o que foi transmitido
pelos vereadores, “sobressai claramente um quadro de falta de cultura democrática da atual maioria”.
Para concretizar, o candidato enunciou 5 exemplos:
– O Presidente da Câmara Municipal recusou fornecer aos Vereadores da coligação PSD/CDS-PP/PPM o
estudo sobre o aeroporto, pago por todos os munícipes, antes de o entregar a outras entidades;
– Os vereadores da oposição não são envolvidos nas tomadas de decisão e tomam frequentemente
conhecimento das decisões pela comunicação social;
– O Presidente da Câmara escondeu durante 2 meses dos Vereadores da oposição a resposta do
Presidente da SATA a uma carta do município, apenas porque o conteúdo não lhe era favorável;
– O Presidente da Junta de Freguesia da Praia do Norte denunciou na Assembleia Municipal problemas de
funcionamento do Centro de Processamento de Resíduos e na sexta-feira seguinte foi proibido pela
Câmara Municipal de entrar no referido centro;
– No protocolo celebrado com a imprensa local, a maioria socialista tentou incluir um artigo a proibir a
publicação de notícias sobre a Câmara.
Para Carlos Ferreira, “estes factos demonstram um total atropelo às regras democráticas, falta de respeito
por um Presidente de Junta eleito pelo povo, e uma tentativa de silenciar a comunicação social, numa atitude
própria do antigo regime e não do pós-25 de Abril”.
A candidatura focou também a denúncia de um cidadão na comunicação social, que por ter defendido e
fundamentado tecnicamente uma posição contrária à maioria camarária em relação a uma obra municipal,
viu o seu comentário eliminado e o seu acesso bloqueado à página de Facebook do município, uma página
institucional que se pretende apartidária.
Carlos Ferreira entende que “o que estamos a descobrir é uma postura gravíssima da Câmara Municipal, que
tem que explicar muito bem como se justifica a censura feita ao cidadão e quantos mais cidadãos foram
censurados nas páginas do município”.
“Qual é a ideia de democracia e liberdade de expressão que tem o Presidente da Câmara?”, perguntou Carlos
Ferreira.
A concluir, o candidato à Presidente da Câmara Municipal da Horta fez questão de transmitir que se o projeto
Acreditar no Faial vencer as eleições autárquicas, implementará na Câmara “uma atitude de respeito
democrático, de dignificação do papel da oposição, e de valorização do contributo dos cidadãos, como se
exige em democracia”.

PSD/Rádio Faial | Foto: PSD

About The Author

Related posts